Atelier

Atelier

A maioria dos arquitectos não se tornam conhecidos até terem no mínimo uns 50 anos. Provavelmente não há nenhuma outra profissão que exija um leque tão variado de conhecimentos para criar algo tão concreto como um edifício.
Um arquitecto deve ser entendido em história, arte, sociologia, física, psicologia, materialidade, simbologia, política e vários outros campos, de forma a criar edifícios que cumprem a legislação, que protegem da chuva, aguentam sismos, têm elevadores e outros sistemas mecânicos, e cumprem os complexos requisitos funcionais e emocionais dos seus utilizadores. Aprender a conciliar tantas preocupações num produto consistente leva algum tempo, com muitas tentativas e erros ao longo do caminho. Para ser arquitecto, há que apostar a longo prazo.

Este é o nosso atelier onde este grande caminho apenas começou.

(Texto traduzido e adaptado do livro 101 Things I Learned in Architecture School por Matthew Frederick)

 

Teatro

00.jpg

Teatro: Representa depois do templo a mais importante contribuição para a história da arquitectura. Da esquerda para a direita - Teatro Grego Primitivo, Teatro Grego Arcaico x2, Teatro Romano e Teatro Helénico.

Obra

O acompanhamento de obra é uma das fases mais importantes de um projecto de arquitectura. É algo que me fascina e onde mais aprendo.

 

Roseta

Vasco-Lima-Mayer_Roseta.jpg

Imagem - https://antigoegito.org/pedra-de-roseta/

Em 1799, em El-Rashid, um militar de Napoleão Bonaparte descobre a Pedra da Roseta que contém 3 alfabetos, Grego, Demótico e Hieroglifos.

Não descurando o seu valor histórico a Pedra da Roseta é uma lindíssima peça de design (acidental ou não) com uma forma interessante e uma textura rica dadas as suas inscrições que registam um decreto de 196 A.C., na cidade de Mênfis.